Pré-requisito(s): acesso ao modelo Intelipost V3.0. Clique aqui para baixar o modelo. Você também pode baixar o modelo direto pelo formulário de solicitação de inclusão/atualização de tabela de frete.

Ferramenta(s): microsoft excel.

Este artigo abrange os seguintes tópicos:

  1. Orientações gerais

  2. Generalidades e restrições

  3. Especificações de centro de distribuição (CD)

  4. Abrangência

  5. Tarifa

  6. Taxas

  7. Aba Multi Origens

  8. Considerações finais

  9. Quais são as transportadoras que utilizam a tabela de frete no modelo Intelipost

  10. Artigos relacionados que podem te ajudar

1. Orientações Gerais

Para utilizar nossas cotações, pode-se utilizar um ou mais Centros de Distribuição. Para adicionar ou atualizar tabelas de um método que atende mais de um CD, é necessário abrir um chamado para cada um deles, ou seja, quanto mais Centros de Distribuição um método atender, mais chamados terá que abrir.

Com a finalidade de facilitar a abertura de chamados e o cadastro de frete para várias origens, a Intelipost criou o Modelo 3.0: uma tabela que permite o cadastro de várias tabelas de frete para origens e métodos diferentes em um único arquivo.

Os benefícios na adoção deste modelo são:

O modelo Intelipost 3.0 é dividido em 5 (cinco) seções:

  • Generalidades e Restrições

  • Especificações de Centro de Distribuição (CD) e Métodos

  • Abrangência

  • Tarifas

  • Taxas


2. Generalidades e Restrições

São fatores que afetam toda a cotação de uma tabela:

2.1 ICMS

Se o imposto não estiver incluso na precificação e for cobrado de acordo com a legislação, deve-se preencher "N" (não). Caso o imposto já esteja incluso na precificação, ou não venha a ser cobrado na operação, deve-se preencher com "S"(sim).

2.2 Cubagem

Esse campo deve ser preenchido com o fator de cubagem definido pela transportadora.

IMPORTANTE: caso não haja fator de cubagem, deixe a célula vazia ou preencha com zero.

2.3 Isenção de Cubagem (campo de restrição não obrigatório)

Esse campo deverá ser preenchido com o peso máximo em que o fator de cubagem será ignorado ao ser comparado com o peso físico da mercadoria.

2.4 Limite de Altura (campo de restrição não obrigatório)

Esse campo deverá ser preenchido com a máxima dimensão permitida pela transportadora para altura da caixa.

2.5 Limite de Largura (campo de restrição não obrigatório)

Esse campo deverá ser preenchido com a máxima dimensão permitida pela transportadora para largura da caixa.

2.6 Limite de Comprimento (campo de restrição não obrigatório)

Esse campo deverá ser preenchido com a máxima dimensão permitida pela transportadora para comprimento da caixa.

2.7 Limite da Soma das Dimensões (Campo de Restrição não Obrigatório)

Esse campo deverá ser preenchido com a soma máxima das três dimensões (CxLxA) permitidas pela transportadora.


3. Especificações de Centro de Distribuição (CD) e Métodos

A tabela 3.0 conta com quatro colunas que servirão para especificar as origens e os métodos que os valores pertencem.

3.1 Nome da tabela

Esse campo especifica qual nome a tabela deverá ter para ser localizada no TMS, facilitando a identificação do CD.

3.2 CEP Origem

Essas colunas deverão ser preenchidas com os CEPs de origem dos Centros de Distribuição. Se o seu CEP de origem inicial e final for o mesmo, preencha as duas colunas igualmente.

Caso o seu CEP de origem inicial e final seja diferente, preencha as duas colunas de acordo.

3.3 ID Método

Esta coluna deverá ser preenchida com os IDs dos métodos a serem atualizados. Esse campo permite que você atualize vários métodos em uma única tabela.

IMPORTANTE: este campo deverá ser preenchido com apenas um número por célula.


4. Abrangência

Por abrangência compreendemos todas as localidades que uma transportadora pode atender em determinado contrato. Quando preencher a tabela 3.0, duas informações serão necessárias: faixas de CEP e prazos.

4.1 Faixa de CEP

Faixas de CEP são intervalos que delimitam uma região.

Tomemos São Carlos (SP) como exemplo. Sua faixa de CEP é 13560-001 a 13579-999, ou seja, todos os CEPs entre esses dois pertencem à cidade de São Carlos.

Em nosso modelo, o preenchimento seria o seguinte:

4.2 Prazos

O campo de Prazos refere-se à previsão de entrega para a respectiva faixa de CEP.


5. Tarifas

O frete pode ser calculado por faixas de peso.

5.1 Faixas de peso

Nesse método de cálculo, existem três variáveis:

  • Faixas de Peso: para cada faixa de peso de cada faixa de CEP haverá uma tarifa de entrega. É possível adicionar tantas faixas de peso quanto forem necessárias no modelo Intelipost.

  • Valor Excedente: refere-se ao preço de cada quilograma que excede o limite das faixas de peso.

  • Frete Valor sobre a Nota (%): refere-se a uma porcentagem da nota fiscal que será adicionada ao preço do frete. Pode ser também encontrada como Ad Valorem.

O valor da tarifa nesta modalidade é uma somatória dos três fatores acima.

5.2 Frete Total Mínimo

O Frete Total Mínimo é utilizado por algumas transportadoras para garantir que os custos de entrega para determinada localidade sejam sempre abatidos.

Este fator funciona como um piso de cobrança de frete. Primeiramente são somadas tarifas e taxas e então comparadas ao Frete Total Mínimo, sendo o valor do frete o maior dos dois.


6. Taxas

As taxas são outros valores somados à tarifa que estão relacionadas a eventos do transporte (seguros, taxas de coleta, entrega etc.) e que comporão o valor final do frete. Cada taxa segue uma regra de cobrança que pode variar entre uma porcentagem sobre a nota fiscal, um valor fixo ou frações de peso.

Os campos padrões das taxas são:

  • Mínimo: configura um valor mínimo para o cálculo de determinada taxa.

  • Máximo: configura um valor máximo que uma taxa pode atingir.

  • %: refere-se à alíquota da taxa.

  • Valor Fixo: configura uma taxa de valor constante.

  • Fração a Cada x Kg: configura a fração de peso para que uma taxa seja cobrada.

Suponhamos que para determinada tabela seja cobrado um pedágio de R$3,00 (três reais) a cada 100 (cem) quilogramas (R$3/100kg). Em nosso modelo, você deve inserir o valor 3 (três) em Valor Fixo e 100 (cem) em Fração a cada x KG.

Em nosso modelo, o Valor Fixo possui duas utilidades:

  • Quando desacompanhado, uma taxa de valor constante é configurada.

  • Quando acompanhado de Fração a cada x KG, uma taxa que varia com frações de quilogramas é configurada.

6.1 Faixa de Taxa

Algumas taxas mudam dependendo do valor ou peso do produto.

Parte cinza claro da planilha:

  • Faixa Inicial: determina o valor gatilho da cobrança diferenciada.

  • Faixa Final: determina o valor máximo que gerará a cobrança diferenciada.

  • Faixa Vigente sobre (NF ou Peso): determina a base do valor de cobrança que será o valor da Nota Fiscal ou será o Peso do Produto.

Parte cinza escuro da planilha:

  • "(%)", ou "Valor Fixo" ou "Valor Fixo" + "Fração a Cada x KG": determina o valor diferenciado da cobrança.

  • Valor Somado Vigente Sobre Faixa ou Valor Completo (F/VC): determina se a taxa diferenciada incidirá sobre o valor completo da base de cálculo ou apenas sobre o que ultrapassar o valor de início da faixa.

Supondo que uma taxa é cobrada sobre a % da nota fiscal do produto e, a partir de certo valor, a alíquota da taxa aumenta. Nossa base de cálculo será o retângulo branco, que será dividido em limite da faixa (vermelho) e faixa excedente (azul).

Para facilitar o entendimento, nosso valor integral será R$100,00, o limite de faixa será R$80,00 e a faixa excedente será R$20,00, levando em conta alíquotas de 10% e 30%.

Até o momento, o preenchimento dos campos da taxa estaria da seguinte forma:

A primeira alíquota a ser aplicada será de 10%, porém a partir do limite da faixa (R$80,00) será aplicada a nova alíquota de 30%. Nesse caso, colocamos R$80,01 na faixa inicial no espaço cinza claro, pois o limite é R$80,00.

A seguir, o preenchimento das últimas colunas:

  • Valor da Faixa soma com valor geral? (S/N): determina se a cobrança da taxa diferenciada é somada à cobrança da taxa geral.
    Considerando o exemplo anterior, ao preencher com "S", é somado o valor da taxa diferenciada (cobrada sobre a faixa azul) ao valor da taxa geral (cobrada sobre a faixa vermelha), ou seja, a alíquota aplicada será de 40%.

    Se preenchido com "N", será considerado apenas o valor da taxa diferenciada (cobrada sobre a faixa azul). Ou seja, a alíquota aplicada ao valor de nota fiscal acima de R$80,00 será de 30%.

  • Valor Somado Vigente Sobre Faixa ou Valor Completo (F/VC): determina se a taxa diferenciada incidirá sobre o valor completo da base de cálculo ou apenas sobre o que ultrapassar o valor de início da faixa.
    Neste exemplo, se for selecionado "VC", a taxa será calculada levando em consideração todo o valor do produto (vermelho + azul = R$100,00). Se for selecionado "F", a taxa será calculada considerando apenas o valor da faixa (azul = R$20,00).

Para elucidar, analisemos o exemplo anterior:

Temos um gris hipotético de 10% sobre a nota fiscal para produtos cujo valor não ultrapassem R$80,00 e, acima disso, o gris será de 30% sobre a nota fiscal.

Tomemos um produto de R$100,00. Além disso, apliquemos todas as possibilidades demonstradas anteriormente.

No exemplo 1 de preenchimento, as porcentagens são somadas e aplicadas sobre o valor completo.

No exemplo 2, a taxa geral será aplicada ao limite e a somatória das alíquotas será aplicada ao valor da faixa, e ao final, os dois valores serão somados.

No exemplo 3, a taxa diferenciada será aplicada ao valor total da Nota Fiscal.

No exemplo 4, a taxa diferenciada será aplicada somente a faixa excedente.

IMPORTANTE: mínimo e máximo atuam como piso e teto de cobrança.

7. Aba Multi Origens

A Tabela V3.0 conta com uma nova aba de Multi Origens. Essa aba foi pensada para os clientes que utilizam uma mesma tabela para várias origens diferentes. Ou seja, os mesmos valores de frete para várias lojas.

Colocamos a seguinte mensagem na Aba 3.0 para indicar o uso da nova aba Multi Origens.

Para utilizá-la não é necessário preencher as 4 primeiras colunas da Aba 3.0, que são NOME DA TABELA, CEP ORIGEM INICIAL, CEP ORIGEM FINAL e ID Método. Nesse caso, elas podem permanecer em branco ou serem apagadas. O restante das colunas dessa aba podem ser preenchidas com sua tabela de fretes.

A Aba Multi Origens contém colunas idênticas a outra aba, que serão preenchidas da mesma maneira, ou seja, será indicado o Nome da Tabela, e os CEPs de origem inicial e final dela. A única diferença é que essa aba não contém a coluna ID Método, pois ele estará evidenciado na abertura do chamado.


A aba Multi Origens também conta com uma mensagem que reforça as regras de uso desta aba, que são:

  • Esta aba é utilizada apenas quando há uma tabela igual para todas as origens.

  • Quando há tabelas diferentes, o preenchimento deve ser realizado apenas na aba 3.0, e a aba Multi Origens pode ser apagada ou deixada em branco.

  • Para casos onde o cliente trabalhe tanto com uma tabela igual para origens diferentes quanto com tabelas diferentes para cada origem, será necessário o envio de arquivos separados, ou seja, um arquivo com a aba 3.0 preenchida e outro com a aba Multi Origens preenchida.

8. Considerações Finais:

As premissas abaixo devem ser consideradas para que a tabela seja incluída com sucesso:

  • A aba com a tabela deve ser nomeada como 3.0. Caso contrário, o script não será capaz de encontrar os dados de cotação.

  • Todas as colunas que não forem utilizadas deverão ser deletadas.

  • Todos os valores da tabela precisam estar formatados como Geral.

  • Nenhuma célula de valor pode conter qualquer outro caractere que não seja um número (apenas vírgulas são aceitas para separar números decimais).

  • Não alterar os cabeçalhos em hipótese nenhuma, sob o risco de exclusão durante a cotação.

  • Em taxas, disponibilizamos toda a gama que pode ser incluída. Qualquer outro nome inserido não será compreendido e, portanto, desconsiderado. Nesse caso, utilize a coluna Outra Taxa.

  • ICMS, Cubagem, Faixas de CEP válidas, Prazo, e um dos métodos de cálculo da tarifa são informações obrigatórias. O não preenchimento desses campos pode ocasionar a devolução da tabela e atraso na integração da cotação.


9. Quais são as transportadoras que utilizam a tabela de frete no modelo Intelipost

Segue abaixo a relação das transportadoras que já trabalham com o tabela de frete modelo Intelipost:

  • B2log

  • Braspress

  • Carriers

  • Diálogo Logística

  • DLog

  • Entrega já

  • Flash Courier

  • Jadlog

  • Jamef

  • MD Translog

  • MMA Transportes

  • Prime

  • Total Express

  • Transfolha Transporte e Distribuição Ltda

  • Uello

O prazo de produção de uma tabela modelo Intelipost é de 2 dias úteis e do modelo da transportadora é de 8 dias úteis.

A solicitação da tabela no modelo Intelipost V2.5 pode ser feita diretamente à transportadora.


10. Artigos relacionados que podem te ajudar

Encontrou sua resposta?